segunda-feira, 19 de abril de 2010

Aos cansados - parte 1

Tenho andado cansado, até mesmo para escrever. Sei que isso não é privilégio só meu e que muitos de vocês aí do outro lado da tela também devem estar, mas se esse não for o seu caso pode parar a leitura aqui.

Refletindo sobre ele descobri que o cansaço traz consigo algumas coisas positivas, senão vejamos: sempre que converso com outra pessoa cansada ela faz questão de enaltecer o cansaço pelas suas muitas responsabilidades e desafios, ou seja, o cansaço se deve a algo maior, a algo que ninguém mais poderia fazer em seu lugar, algo que cabe a você, a sua missão.

Os cansados se vangloriam do seu próprio cansaço como o resultado do engajamento e do trabalho concluído a cada dia. Eles tem o direito de comer, se fartar e desfrutar do prazer das suas conquistas. Assim Paulo ensinou em forma contrária dizendo aos preguiçosos que não comessem se não quizessem trabalhar. E quem não trabalha não se cansa.

Na maioria das vezes o cansaço é o preço a ser pago quando nos propomos a fazer algo mais ou extraordinário. Como já ensinava o sábio “não há preço a ser pago para fazer coisas ordinárias (comuns)”.

Além dos aspectos positivos o cansaço traz consigo oportunidades. Oportunidade de assaltar a geladeira nas insônias da madrugada; oportunidade de orar e meditar depois da refeição básica das 3 da manhã; oportunidade de apreciar o cochilo no sofá depois do almoço de domingo; oportunidade de desfrutar os momentos tranquilos com mais intensidade; oportunidade de merecer o trabalho e as responsabilidades colocadas sobre nós. E eu posso te garantir que tenho usufruído sobremaneira dessas oportunidades que o cansaço me dá.

O ponto é que o cansaço dá trabalho... ou o trabalho cansa, sei lá.

Minha única questão é que não consigo usufruir da melhor de todas as oportunidades do cansaço, descansar. Não que eu não saiba em Quem eu deveria.

Um comentário:

Luciano disse...

Vc já viu aquela apresentação do PPT que vem nesses e-mails dizendo desacelere...

Pois é há menos de um mês perdi meu pai um exemplo e referência em tudo para mim, e quando passamos por estas situações repensamos muitas coisas na vida.

A conclusão que cheguei é que na vida as coisas que nos deixam "cansados" nos afastam das coisas realmente importantes como família e amigos, e a vida é muito curta para desperdiçarmos, muitos valores estão sendo revistos deste então com mais intensidade. Aproveito e intensifico ao máximo meus momentos com a família, e amigos, pois isto é o que fica, isto é o que levamos daqui...

Ah o trabalho e as responsabilidades são importantes também, mas não devemos prejudicar nossa saúde e vida pois esta é a única bolinha do nosso malabarismo diário que se cair no chão quica e volta para cima...

Abraços e parabéns pelo BLOG!