quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Sinto o cheiro

Qual a memória mais antiga que você tem? Não sei se você já fez esse exercício de buscar em suas memórias qual a mais velha de todas elas. Até que ponto você consegue regredir? juventude, adolescência, infância? Do que se lembra? Apenas imagens, sons, ruídos, cheiros? Alguns médicos dizem que esse tipo de exercício pode fazer com que a perda de memória demore mais a chegar – demore, porque chegar ela vai, apenas questão de tempo.

Acho que já contei isso para algumas pessoas. Na minha memória mais antiga estou pulando num sofá meio alaranjado meio amarelo, usando uma camiseta azul com um desenho de um bichinho na frente, não me lembro ao certo qual. Minha mãe diz que provavelmente se trata de minha infância em São Paulo a muito tempo atras.

Mas também tenho memórias auditivas e principalmente “olfativas”. Nunca me esqueci (e nem quero) do cheiro da minha primeira bicicleta e ainda me lembro do cheiro da casinha que tínhamos atrás de casa. Quando busco no Winchester da minha caixola (nota de utilidade pública aos mais piás: winchester = disco rígido ou HD (hard disk) num passado não muito distante) consigo, de alguma maneira que não sei como, sentir de novo aqueles cheiros. O curioso é que só consigo me lembrar dos cheiros bons. Não me lembro de nenhum cheiro ruim do passado.

O salmista pedia a Deus que lhe ensinasse a contar os dias, de tal maneira que alcançasse um coração sábio. Além disso eu também peço: me ensine a contar meus dias sem me esquecer de sons, imagens e principalmente das boas fragâncias.

No antigo testamento os sacerdotes lançavam azeites e incensos como memoriais nos altares. Ofertas queimadas de cheiro suave ao Senhor, demonstrando que o cheiro, a fragância das coisas deve ter alguma importância para Deus. Nós mesmos ainda dizemos: “Isso não está me cheirando bem.”, deve ter alguma ligação. Coisas boas tem cheiro bom e não há como fazer coisas ruins nem mesmo cheirarem bem.

No novo testamento o maior sacrifício de todos criou uma nova memória nas narinas de Deus. Um novo padrão de fragância. A partir daquele momento qualquer um pode chegar perto Dele mas para isso precisa usar a fragância certa, o perfume certo.

Cheiro de nova criatura.

Com esse perfume Deus não se esquece do meu cheiro assim como não me esqueço do cheiro da minha antiga bicicleta. Na verdade “nova” bicicleta.

Bom, eu já estou sentindo o cheiro das minhas férias e espero lembrar dele por pelo menos mais um ano.

Escrevo mais na volta.

Até.

3 comentários:

Pastoragente disse...

Graça e paz!
Estive aqui para conhecer seu Blog e quero lhe parabenizar por esta bênção. Já me tornei sua seguidora.
Deixo meu convite para que dê uma passada lá no PASTORAGENTE.BLOGSPOT.COM., onde exponho da forma mais divertida e realista possível, as histórias de uma pastora comum como eu.
Se quiser seguir o blog será uma honra para mim.
Que 2010 seja uma bênção, com muita saúde e graça do Pai.
Abração!!!

lima disse...

OLA!!! ESTOU DEMASIADAMENTE FELIZ PELO BLOG PRINCIPALMENTE POR ESTE COMENTÁRIO (Diga-me com quem andas e te direi quem és) praticas e pensamentos com este ,darão um novo padrão de cristianismo e evangelho para nós.
Você foi muito feliz e categórico neste comentário. obrigado !!!

seu primo...orgulhoso por você..Josué

Del disse...

Valeu Josué, mesmo a distância seguimos no mesmo espírito. Abraço.